Pílulas de Mudança

Se você é daqueles que tem problemas de “freio”, ou seja, dificuldade de controlar alguns impulsos e excessos que te causam prejuízos associados a agressividade, comida, compras, bebidas, sexo, entre outros, e se resigna ao fato desta característica ser genética ou de personalidade, saiba que recentes pesquisas demonstram que este controle é uma habilidade, e portanto pode ser adquirida e treinada.

Existem duas formas de se falar sobre mente e comportamento humano; através da psicologia e medicina ou dos livros de auto-ajuda o termo ciência ajuda foi criado justamente para traduzir os conhecimentos baseados em pesquisase evidências cientificas para que sejam usados no dia-a dia. ja existem estudos inclusive apontando essa forma de “auto ajuda baseado em evidencias” como uma forma eficaz de aquisição de bem estar e coadjuvante de outros tratamentos em saúde mental.

Trocar um hábito por outro pode ser mais fácil do que eliminar um.

Recentes estudos da área de Psicologia Social da Harvard Bussiness Scholl, concluíram que uma boa postura é um dos comportamentos que ajudam a desenvolver autoconfiança naqueles que não a possuem de forma inata. Estar em contínuo aprendizado em quaisquer áreas do conhecimento e dividir com os outros suas experiência positivas também ajudam.

As rochas podem ser classificadas de acordo com sua composição química, sua forma estrutural, ou sua textura, sendo mais comum classificá-las de acordo com os processos de sua formação. Ao longo do tempo podem ser modificadas pelos efeitos de temperatura e pressão.

“A prática da auto-compaixão está relacionada à diminuição de estados ansiosos, sintomas depressivos e  maior bem estar.” Journal of Research in Personality, 2007. Entende-se por auto – compaixão, a qualidade de ser compreensivo e atencioso consigo mesmo ao invés de intensas e constantes auto-críticas e julgamentos. Mas isso não inclui se vitimizar ou ter pena de si, pelo contrário, a idéia é ter ainda mais energia e motivação para o que você deseja mudar. Uma dica é tratar -se como você faria com alguém que você preze e ame.